INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DE GESTÃO,
TECNOLOGIA E PESQUISA EM SAÚDE E ASSISTÊNCIA SOCIAL

14 Mai

Atendimento beira-leito: IDGT implanta práticas integrativas e complementares, em Guarulhos

O IDGT iniciou a aplicação das Práticas Integrativas e Complementares (PICS) nos atendimentos beira-leito do Hospital Municipal da Criança e do Adolescente (HMCA), em Guarulhos (SP). Entre os tratamentos oferecidos, estão: medicina tradicional chinesa, terapia comunitária, auriculoterapia, acupuntura e reiki. O IDGT administra o hospital

“As Terapias Complementares atuam como alternativa no tratamento de várias doenças. Muitas delas já são oferecidas pelo SUS. Aqui em Guarulhos, o IDGT inova com a implantação destes procedimentos, que ajudam pacientes e até os acompanhantes. O uso destas terapias traz muitos benefícios, como a diminuição do tempo de internação e do uso de medicamentos”, explica o Dr. Davi Amorim, responsável pelo projeto.


Quem já sente os efeitos destes novos métodos é a pequena Laura Santos. Internada há 60 dias, ela já passou por cinco AVCs, duas paradas cardiorrespiratórias, um derrame pleural e ainda sofre de anemia falciforme. “Minha filha faz esse tratamento de acupuntura há 35 dias aqui no hospital. O resultado é incrível, dá pra notar o quanto ela fica mais calma após o processo”, disse Andressa Tatiana dos Santos, mãe de Laura.

PICS
Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece, de forma integral e gratuita, 29 procedimentos de Práticas Integrativas e Complementares (PICS) à população. Os atendimentos começam na Atenção Básica, principal porta de entrada para o SUS.


Evidências científicas têm mostrado os benefícios do tratamento integrado entre medicina convencional e práticas integrativas e complementares. Além disso, há crescente número de profissionais capacitados e habilitados e maior valorização dos conhecimentos tradicionais de onde se originam grande parte dessas práticas.

Crescimento
O uso das práticas integrativas no SUS vem crescendo a cada ano, como complemento em tratamentos em saúde. A quantidade de procedimentos relacionados a essas práticas, como uma sessão individual de auriculoterapia ou uma sessão de atividade coletiva, mais que dobrou entre 2017 e 2018, passando de 157 mil para 355 mil. Nas atividades coletivas, como yoga e tai chi chuan, o crescimento foi de 46%, passando de 216 mil para 315 mil no mesmo período. O reflexo desse aumento também pode ser visto no quantitativo de participantes nessas atividades, que cresceu 36%, de 4,9 milhões de participantes para 6,67 milhões.

Nossos parceiros